PORTARIA CRIA 238 VAGAS PARA PROFESSOR E TÉCNICO EM UNIVERSIDADES FEDERAIS EM MINAS

O texto é assinado pelos ministros da Educação, Mendonça Filho, e do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira

 

Uma portaria interministerial publicada nesta quinta-feira no Diário Oficial da União (DOU) autoriza a criação de 1,9 mil vagas de trabalho em universidades federais em todo o Brasil. Os postos se dividem em professores dos cursos superiores e de escolas básicas e técnicas ligadas às universidades, além de técnicos administrativos.

A portaria foi assinada pelos ministros da Educação, Mendonça Filho, e do Planejamento, Desenvolvimento e Gestão, Dyogo Oliveira. Desse total, Minas terá 238 vagas divididas entre as federais no estado.

 

De acordo com a portaria, a divisão contemplará principalmente os cargos de professor. Ao todo, serão 152 vagas para as universidades em Minas. A maioria das novas vagas será destinada à Universidade Federal de Lavras que contará com 58 novos postos em 2018.

A Universidade Federal do Jequitinhonha e Mucuri (UFJVM) é segunda recebendo 36 vagas, seguida da Universidade de São João Del-Rei (SJDR) com 20 postos. Já a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) não foi contemplada com nenhuma nova vaga de professor.

 

Em relação aos professores de escolas básicas e ensino técnico, a portaria abre nove vagas no estado entre cinco fundações e escolas ligadas às universidades.

 

Os servidores técnicos também terão incremento de novos colegas. Minas receberá 77 novos profissionais. Mais uma vez a UFLA será a maior contemplada com 30 vagas – 10 neste ano e 20 em 2018. Nesse tipo de profissional a UFMG foi a segunda mais agraciada com 13 novos postos de trabalho.

 

De acordo com o ministro da Educação, Mendonça Filho, a medida visa recompor parte dos quadros das universidades que sendo defasados nos últimos anos. “Essa liberação é importante para que as universidades federais continuem oferecendo seus cursos de graduação com a qualidade já reconhecida pela sociedade brasileira. Também reafirmamos nosso compromisso e do governo federal com o ensino superior”, destaca.

 

De acordo com o Ministério da Educação (MEC) a prioridade para a destinação das novas vagas é para as universidades mais novas, criadas a partir de 2013. Além disso, o MEC, acredita que ainda atende “expansão referente aos cursos de medicina; ampliação de campus e regularização de déficit de técnico-administrativos decorrentes de decisões judiciais”.

 

Ainda de acordo com o Ministério da Educação, no último dia 05 foram liberados R$ 1,2 bilhão para universidades e institutos federais em todo o país. “O valor corresponde ao repasse financeiro para as instituições federais, a 100% da assistência estudantil, ao aumento de 5 pontos percentuais no limite de empenho do orçamento para custeio e 10 pontos percentuais para investimento”, informa a pasta.

 

O MEC ainda afirma que já repassou R$ 5,8 bilhões em recursos financeiros e R$ 7,8 bilhões para limite de empenho.

Fonte:uai.com

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.


*