LEMBRANÇAS, HOMENAGENS E GRITOS DE APOIO: CRUZEIRO REENCONTRA CHAPECOENSE

Na última rodada do Brasileirão de 2016, o torcedor do Cruzeiro que compareceu ao Mineirão para a partida contra o Corinthians presenciou uma série de homenagens à Chapecoense. Na ocasião, milhares de pessoas prestaram solidariedade ao clube catarinense dias após a tragédia aérea que matou 71 pessoas. E nesta noite de quinta-feira não será diferente no duelo pela Primeira Liga. O compromisso no Mineirão será o primeiro da Chape fora de Santa Catarina e o Cruzeiro prepara novos atos de respeito e admiração aos visitantes.

“Vamos entregar uma faixa, vamos fazer uma homenagem antes do jogo. O departamento de marketing está cuidando disso. Sempre converso com os dirigentes da Chape”, comentou o vice-presidente de futebol, Bruno Vicintin.

A faixa citada por Vicintin foi exibida no desfecho do último Brasileirão, em dezembro passado. Assinado pelos torcedores do Cruzeiro horas antes da partida contra o Corinthians e exposto do lado de fora do Mineirão, o material trazia mensagens como “Somos todos Chape”, “Equipe imortal” e “Campeões para sempre”. Nas arquibancadas, já há uma iniciativa dos torcedores do Cruzeiro para repetirem o canto “Vamos, vamos, Chape” que emocionou o mundo nos últimos meses.

Vale lembrar que dentro de campo as diretorias de Cruzeiro e Chapecoense também tiveram boas relações nos últimos meses. Atualmente, os zagueiros Douglas Grolli e Fabrício Bruno estão emprestados ao time catarinense e parte do salário é pago pelo clube mineiro. Nesta quinta, porém, nenhum deles estará em campo, já que a Chape mandará a campo apenas jogadores da categoria sub-23. O Cruzeiro de Mano Menezes também entrará em campo com a equipe reserva.

Encontro especial para Rafinha

A partida contra a Chapecoense também será mais que especial para o meia Rafinha. O jogador do Cruzeiro era um amigo próximo de Gil, uma das vítimas na tragédia. Juntos, a dupla fortaleceu a amizade na passagem de ambos pelo Coritiba, entre 2011 e 2013. Em entrevista na Toca da Raposa durante a semana, o jogador revelou o carinho que tem por Dona Nina, mãe de Gil.

“Será um jogo um pouco diferente, principalmente para mim, que perdi um dos melhores amigos no futebol. Então, é um jogo especial. Falei com a mãe do Gil, há pouco tempo atrás, para perguntar como estava. Eu e Robinho fomos a Natal para ajudar no que era possível. Tenho certeza que a família dele vai estar vendo esse jogo. A mãe dele me falou que agora eu sou o filho dela, que ela vai acompanhar no futebol. Por isso é um jogo especial, que eu vou guardar, mesmo eu jogando ou não”, falou.

Fonte:uol.com

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.


*