GOVERNO FEDERAL DIVULGA NOVA LISTA COM CIDADES EM ESTADO DE EMERGÊNCIA POR FEBRE AMARELA EM MG

O DOU havia publicado nesta segunda-feira que quatro cidades tiveram o pedido reconhecido, sendo que três delas não apresentaram casos confirmados da doença. No fim do dia, a União aumentou o número para 63.

 

ém de Coronel Fabriciano (MG), Governador Valadares (MG), Manhumirim (MG) e Teófilo Otoni (MG), outras 59 cidades mineiras tiveram situação de emergência por febre amarela reconhecida pelo Ministério da Integração Nacional. A nova lista foi divulgada na noite desta segunda-feira (20). A medida permite que as prefeituras solicitem apoio da União para ações de socorro e assistência à população. (Veja lista no fim desta reportagem).

O Diário Oficial da União (DOU) havia publicado nesta segunda que apenas Coronel Fabriciano, Governador Valadares, Manhumirim e Teófilo Otoni tiveram a situação de emergência reconhecida. Porém, de acordo com boletim divulgado pela Secretaria de Estado de Minas Gerais (SES) na última sexta-feira (17), as três primeiras cidades mencionadas não têm nenhum caso confirmado da doença. Teófilo Otoni tem nove confirmações. Sete pessoas morreram no município.

De acordo com o Ministério da Integração Nacional houve um equívoco. As quatro cidades que aparecem na publicação do DOU são sedes das Unidades Regionais de Saúde que abrangem os municípios que possuem casos registrados de febre amarela. A previsão é que a lista com as 63 cidades seja publicada no Diário Oficial da União nesta terça-feira (21).

O Governo de Minas Gerais decretou no dia 13 de janeiro deste ano situação de emergência no entorno das áreas de Coronel Fabriciano, Governador Valadares, Manhumirim e Teófilo Otoni, contemplando 152 cidades. Sobre este dado, o Ministério da Integração Nacional disse que as solicitações dos estados são analisadas pela equipe técnica da pasta, de acordo com critérios da Defesa Civil Nacional.

A SES informou em nota que “toda a documentação foi toda remetida pela Defesa Civil Estadual, em conformidade com o acordado junto ao Ministério da Integração Nacional pela Defesa Civil de Minas Gerais”.

A secretaria disse ainda que o decreto estadual não depende do governo federal porque ele “já permitiu à SES executar uma série de atos que, sem a sua publicação, não seria possível (como a contratação emergencial de pessoal, a liberação emergencial de recursos, a execução de despesas não programadas com viagens e diárias para o apoio aos municípios etc.). Havia, sim, a tramitação em paralelo para reconhecimento nacional, cuja responsabilidade e acompanhamento é da Defesa Civil, e não da SES”.

De acordo com boletim divulgado pela secretaria nesta sexta-feira. há 1.012 casos notificados suspeitos de febre amarela relacionados ao estado. Desses, 220 estão confirmados e 57 foram descartados. Outros 735 casos estão sob investigação.

De acordo com a secretaria, 78 mortes pela doença já foram confirmadas e outras 96 são investigadas. A maioria das mortes está relacionada a cidades dos vales do Rio Doce e do Mucuri. Há ainda óbitos em cidades do Sul de Minas e do Norte do Estado.

Veja a lista das cidades que tiveram a situação decretada reconhecida pela União:

Água Boa, Aimorés, Alpercata, Alvarenga, Bom Jesus do Galho, Caraí, Caratinga, Chalé, Conceição de Ipanema, Conselheiro Pena, Coronel Fabriciano, Durandé, Entre Folhas, Espera Feliz, Frei Gaspar, Frei Lagonegro, Governador Valadares, Imbé de Minas, Inhapim, Ipaba, Ipanema, Ipatinga, Itaipé, Itambacuri, Itanhomi, Itueta, José Raydan, Ladainha, Lajinha, Malacacheta, Manhuaçu, Manhumirim, Martins Soares, Mutum, Nanuque, Novo Cruzeiro, Orizânia, Padre Paraíso, Peçanha, Piedade de Caratinga, Pocrane, Poté, Reduto, Resplendor, Santa Bárbara do Leste, Santa Maria do Suaçuí, Santa Rita de Minas, Santa Rita do Itueto, Santana do Manhuaçu, Santana do Paraíso, São João do Manhuaçu, São João da Manteninha, São João Evagelista, São José do Jacuri, São José do Mantimento, São Pedro do Suaçuí, São Sebastião do Maranhão, Setubinha, Simonésia, Taparuba, Tarumirim,Teófilo Otoni, Ubaporanga.

 

Fonte:globo.com

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.


*