CRUZEIRO TERÁ REUNIÃO NO MP PARA QUESTIONAR PROIBIÇÃO DE DUAS TORCIDAS NO INDEPENDÊNCIA

Clube tenta reverter decisão da PM de proibir cruzeirenses em segundo jogo da final

Algumas horas depois da solicitação do Cruzeiro, o Ministério Público reservou espaço na agenda para receber a diretoria do clube. A pauta da reunião, marcada para esta quinta-feira, às 13h, será a presença do torcedor celeste no segundo jogo da final do Campeonato Mineiro, marcado para o Independência. A Polícia Militar vetou a presença de duas torcidas, e o Cruzeiro briga para reverter essa decisão.

Na manhã desta quarta-feira, em entrevista coletiva, o vice-presidente de futebol do Cruzeiro, Bruno Vicintin, já havia adiantado que pediria reunião com o comando geral da Polícia Militar, com o Ministério Público Estadual e governo de Minas. “O Cruzeiro mostra preocupação com os fatos acontecidos na reunião na Federação Mineira, onde, ao que parece, existiu direcionamento para a torcida do Cruzeiro seja proibida de ir ao jogo. O Cruzeiro vê isso com muita preocupação”, disse.

O clube destacará que outros clássicos nas mesmas condições já foram realizados no Independência com as duas torcidas, e a Polícia Militar teve condições de garantir a segurança. Além disso, será usado o argumento de que o estádio passou por obras de reconstrução anos atrás, ao custo de R$ 140 milhões, arcados pelo governo de Minas, justamente para atender as demandas dos principais clubes do estado.
À reportagem, o major Santiago, responsável pela sala de imprensa da Polícia Militar de Minas Gerais, disse que a corporação não mudará seu posicionamento sobre a proibição de duas torcidas no segundo jogo da final, no Independência. “Toda situação de dialogo é importante. Todas as pessoas que se envolvem. Procurar o Ministério Público é muito importante. Assim como outras estruturas governamentais”, disse. “Se qualquer outro órgão que tenha poder legal determinar alguma mudança, ele assume esse risco. O laudo da PM é o mesmo. O posicionamento persiste”, complementou Santiago.

Na terça-feira, uma reunião entre Cruzeiro, Atlético, Federação Mineira de Futebol e autoridades definiu o jogo de ida para o próximo domingo, às 16h, no Mineirão, com divisão de ingressos em 90% (mandante) a 10% (visitante). O encontro na sede da FMF foi recheado de discussões acaloradas entre integrantes das duas diretorias. O diretor de futebol cruzeirense, Klauss Câmara, e o diretor jurídico do Atlético, Lásaro Cândido da Cunha, mostraram discordância em vários pontos. O Cruzeiro propôs que os dois jogos ocorressem no Gigante da Pampulha, com partilha equivalente da carga de bilhetes, mas o Atlético recusou essa possibilidade.

Fonte:uia.com

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.


*