CADASTRO DE CRIANÇAS PARA EDUCAÇÃO INFANTIL DE BH COMEÇA NESTA SEGUNDA-FEIRA

Devem ser inscritas tanto crianças até 3 anos, que buscam uma vaga nos primeiros anos da educação infantil, quanto crianças de 4 e 5 anos, que vão entrar na pré-escola.

 

O periodo de cadastramento para crianças até 5 anos que precisam de uma vaga na rede municipal de educação infantil de Belo Horizonte em 2018 começa nesta segunda-feira (25). Neste ano, 70% das vagas serão distribuídas a partir de critérios de vulnerabilidade e os outros 30% por sorteio público.

O cadastramento será feito todo pelo site da Prefeitura de Belo Horizonte. Devem ser inscritas tanto crianças até 3 anos, que buscam uma vaga nos primeiros anos da educação infantil, quanto crianças de 4 e 5 anos, que vão entrar na pré-escola.

Pela primeira vez, o cadastro das crianças mais novas tem que ser feito pelo site. Já a inscrição das crianças entre 4 e 5 anos é feita pela internet desde 2015.

Podem ser cadastradas apenas crianças moradoras de Belo Horizonte. Devem ser informados no cadastro o nome completo da criança, idade, endereço residencial. O sistema de distribuição de vaga vai considerar proximidade com a casa ou com o local de trabalho indicado pelos pais na hora do cadastro.

Para solicitar uma vaga na pré-escola, a criança deve ter nascimento entre 1º/7/2012 e 31/3/2014. Já para se cadastrar para uma vaga de creche, a criança deve ter nascido a partir de 1º/4/2014.

Lista de espera e critérios de vulnerabilidade

De acordo com a Secretaria de Educação, para 2018, a lista de espera sofre mudanças. Até o ano passado, a lista era formada por ordem de cadastro daqueles que não tinham sido incluídos na distribuição dos 70% das vagas. Agora, será gerada uma lista única para cada Unidade Municipal de Educação Infantil (Umei), sempre obedecendo os critérios de vulnerabilidade.

Os pais ou responsáveis devem inscrever as crianças até três anos pela internet e um sistema vai encaminhar a criança para a unidade escolar mais próxima ao endereço informado no formulário. Segundo a pasta, este sistema vai evitar duplicidade na distribuição das vagas.

Segundo duas portarias da Prefeitura de Belo Horizonte, são considerados como critério de vulnerabilidade atendimento por programas sociais, famílias que possuem menor renda per capita, escolaridade dos pais e saúde das crianças, como deficiência e doenças.

 

Fonte:globo.com

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.


*