Amamentação: cerveja e canjica ajudam a estimular a produção de leite

breastfeeding. mother breast feeding her baby toddler

Amamentação. Palavra é até simples, mas representa muitos benefícios para a mãe e, especialmente, para o bebê. Amamentar fortalece a imunidade da criança, aumenta o vínculo materno, reduz os riscos de alergia, evita cólicas e previne o aparecimento de doenças no futuro como obesidade e diabetes. O ferro do leite materno tem maior absorção do que o do artificial. Além dessa enorme lista de benefícios, o aleitamento materno ajuda no desenvolvimento cognitivo e emocional da criança, da fala e na formação dos dentes.  Para ajudar as mamães de plantão, a pediatra Flávia Nassif listou alguns mitos e verdades da amamentação

Mamadeira e chupeta interferem na amamentação? Verdade.
Ambas podem interferir porque pode acontecer a chamada “confusão de bicos”, principalmente no primeiro mês de vida da criança.

— A “confusão de bicos” é a dificuldade da criança de aceitar o seio após a experiência com mamadeiras e chupetas. A forma de sugar é diferente. E nas mamadeiras o leite flui muito mais facilmente, o que pode levar a criança a não aceitar mais a espera que o seio demanda

Verdade que canjica e cerveja ajudam a estimular a produção de leite? Mito.
O que ajuda a estimular a produção de leite é a alimentação adequada combinada com a ingestão abundante de líquido, principalmente água, explicou a médica. Um ou outro componente sozinho não resolve a situação. Sem contar que a cerveja tem álcool, cuja ingestão não é recomendada na gravidez e nem na amamentação.

Mulheres que têm silicone nos seios tem dificuldade no aleitamento? Mito
Flávia explicou que o silicone não interfere na glândula mamária e, assim, não tem porque interferir no aleitamento.

— Pode haver interferência se houver lesão de ducto da glândula mamária quando o silicone for colocado. Isso sim pode dificultar o processo.

Estresse e nervoso podem fazer o leite secar? Verdade.
Quando se fala em “secar o leite” significa dizer que houve uma diminuição importante da produção do leite materno, explicou a especialista.

— Quando a mulher está nervosa e estressada, a produção de adrenalina tende a ser maior. E a adrenalina bloqueia a ação da ocitocina, um dos principais hormônios do processo do aleitamento. Ele é o que age na liberação do leite armazenado. Quando a mãe se vê nessa situação, ela precisa procurar técnicas de relaxamento e não deixar de amamentar. Quanto mais a criança sugar, maior será a produção do leite. E aqui é importante reforçar a necessidade da ingestão de muito líquido.

Amamentar ajuda a reduzir o risco de câncer de mama? Verdade.

De acordo com a pediatra, existem trabalhos que mostram que sim, reduz. — Isso em função da quantidade de hormônios à qual a mulher é submetida e à redução dos ciclos menstruais, que estaria associada à prevenção da doença

A compressa de água quente ajuda no leite empedrado?Mito.

Na verdade, é a compressa de água fria que ajuda, segundo Flávia.

— Ela diminui o processo inflamatório no local. A compressa quente, em virtude da vasodilatação, pode estimular a produção de mais leite e, consequentemente, com a região mais sensível, “empedrar ” mais

Alimentação da mãe reflete no leite? Verdade.

Quanto melhor a mãe se alimentar, melhor a qualidade do leite que ela irá produzir.

A amamentação deixa os seios murchos? Verdade.

Não é uma regra. Mas pode acontecer. A mama fica muito túrgida e densa com a gravidez e a amamentação, diz Flávia.

— Depois, quando para a produção do leite e não há mais o volume anterior no seio, a pele volta e pode acontecer de ficar mais flácida.

A recomendação é que a mãe amamente por seis meses? Verdade.

A OMS (Organização Mundial da Saúde) recomenda o aleitamento materno exclusivo até os seis meses de idade, explicou a médica.

— Depois, continua-se com o leite, mas acrescentando as papinhas, até por volta dos 2 anos de vida da criança.

Fonte:r7.com

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.


*