À LA FLORIDA CUP: PRIMEIRA LIGA DEVE SER MAIS CURTA E TER SEDE ÚNICA EM 2018

Compartilhe nas Redes Sociais

Presidente do Cruzeiro e da Liga, Gilvan Tavares fala sobre mudanças para a terceira edição da competição e destaca a possibilidade de entrada de outros grandes clubes

 

A Primeira Liga promete ter grandes mudanças para sua terceira edição, que será realizada em 2018. Foi o que revelou Gilvan Tavares, presidente da Liga e do Cruzeiro, após reunião na sede da CBF nesta segunda-feira. A ideia é fazer o torneio nos moldes da Florida Cup, com menor duração e sede em apenas um estado. Há a chance também de outros grandes clubes entrarem na competição.

– No ano que vem já temos um modelo diferente, competição mais curta, possivelmente com outros grandes clubes, tipo esse torneio que fazem nos Estados Unidos, em Orlando, um torneio de verão. Com poucos jogos e mais rentável, trazendo até mais interesse para emissoras de televisão. Uma parte de janeiro, porque os clubes têm que fazer pré-temporada, mas também têm que fazer jogos para avaliarem seus elencos. E a Primeira Liga é muito boa para isso. Quem sabe mudando formato, ou fazendo tudo num estado, o que é mais palatável e rápido.

Gilvan não adiantou quais clubes demonstraram interesse em fazer parte da competição na próxima temporada, mas deixou claro que a imagem deixada nos dois primeiros anos é positiva a ponto de fazer alguns dirigentes pensaram em deixar o campeonato estadual de lado para priorizar o torneio. Um grande facilitador seria o lado financeiro, que, segundo o presidente do Cruzeiro, é muito mais vantajoso.

– A (cota paga aos clubes) da Primeira Liga é, proporcionalmente, maior que outras competições. Que o Estadual não tem dúvida, só não paga mais que o Paulista porque não tem como. Em compensação, com os poucos jogos que jogam na Liga, os clubes como Cruzeiro, Atlético-MG, Fluminense, somando o que ganham na Primeira Liga, Grêmio e Inter também, ficam com as cotas igual a de São Paulo, que é um campeonato longo. E outra coisa, estão jogando uma competição que não paga nada para eles, a logística é péssima e dá prejuízo. Já ouvi de presidente que ano que vem não vai jogar o campeonato do estado e vai priorizar a liga. A Liga paga despesa de translado, hospedagem, mais uma cota de TV e premiação por etapa.

A competição teve a primeira edição em 2016, apenas com clubes do Rio de Janeiro, Minas Gerais e da região Sul, e virou motivo de disputa política. Clubes, federações e CBF começaram um conflito, e a liga deu pontapé inicial com objetivo de criar um torneio que ganhasse força e chegasse a ter o status do Campeonato Brasileiro. No Rio, Flamengo e Fluminense entraram em rota de colisão. O Tricolor marcou o nome na história como primeiro campeão – título foi conquista em Juiz de Fora, com uma vitória diante do Atlético-PR.

 

Fonte:globo.com

SEJA O PRIMEIRO A COMENTAR

Deixe uma resposta

Seu e-mail não será publicado.


*